sexta-feira, janeiro 19, 2018

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA



 Jumento do Dia

   
Joana Marques Vidal, Procuradora-Geral

Não se percebe bem se o discurso da Procuradora-Geral era de balanço ou de candidtura, mas para além do elogio ao seu próprio trabalho e da afirmação da grande colaboração com os países da CPLP e dos valores do Estados, o discurso foi pobre. Esperava-se mais, quando a Procuradora-geral está no olho do furacão.

«A dez meses do fim do seu mandato primeiro e resta saber se último a procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, aproveitou a cerimónia de abertura do ano judicial, em Lisboa, esta tarde, para fazer um discurso de balanço dos seus cinco anos na função.

Segundo disse, "é justo reconhecer como positivos os resultados dos caminhos até agora percorridos", disse a procuradora-geral.

Para Joana Marques Vidal, houve um "desenvolvimento coerente e coeso" da atividade do Ministério Público, o qual permitiu "o exercício reforçado de uma hierarquia responsabilizante e responsável"» [DN]

 Espetáculo deprimente

Goste-se ou não de Hugo Soares, na verdade é uma figurinha desinteressante e irritante, o PSD é um partido que nada tem que ver com o MRPP, para que uma Manuela Ferreira Leite viesse exigir ao líder parlamentar para se demitir, ainda nem eram 9 horas da manhã seguinte á noite que consagrou Rui Rio como presidente do PSD.

Aliás, Manuela Ferreira Leite nem é deputada e nem tem qualquer cargo na equipa de Rio, pelo que deveria ter tido mais tento na língua e respeitar as regras. Se Hugo Soares foi eleito líder parlamentar pelos seus colegas deputados é a estes que deve dirigir um pedido de demissão, por sua iniciativa e não pressionado.

Não faz qualquer sentido que Rui Rio diga que vai ficando pelo Porto porque só será líder a partir de meados de Fevereiro, para depois permitir ou incentivar estas peixeiradas. Rio começou da pior forma e se e a isto que chama meter os militantes na ordem vamos ter um folhetim pouco digno.

quinta-feira, janeiro 18, 2018

KUANZEIROS ATRAPALHADOS

Ainda há poucos dias a Procuradora-Geral era elogiada por toda a direita por ter atacado os poderosos, entendendo-se por poderosos um ex-primeiro-ministro sem funções num partido da oposição e um banqueiro arruinado e caído em desgraça na banca e na sociedade, falido e sem amigos.

O mais divertido é dois dos poderosos que mais se podem queixar da coragem da Procuradora-Geral é um procurador que não resistiu à tentação das guloseimas e um ex-vice presidente de Angola. Não deixa de ser estranho que com tanta gente a elogiar a coragem da Procuradora-Geral, ninguém da direita se tenha lembrado destes dois exemplos. Porque é preciso coragem para destruir as relações com um país amigo que tem sido um verdadeiro abono de família e para prender um colega de uma instituição que estava acima de qualquer suspeita.

Com tanta gente a lambuzar-se em Angola, desde modestos kuanzeiros a ex-ministros superpoderosos em governos do PSD é divertido ver como toda esta gente elogia a Procuradora-Geral em público, enquanto em privado rezam para que alguém faça alguma coisa.

Já se percebeu que a PGR não recua no caso do ex-vice-presidente de Angola, não só avança com a acusação como ainda ofende o nosso parceiro de muitas aventuras, dizendo que em matéria de justiça é gente de pouca confiança. Isto é, o dinheiro dos angolanos é de confiança, o apoio deles a uma CPLP que sem Angola perdia todo o interesse é bem-vindo, agradece-se que importem muito e nos levem os excedentes de quadros, o problema está na justiça.

Não importa que muitas empresas portuguesas entrem em dificuldades, que a CPLP imploda, que Portugal perca um dos seus grandes parceiros à escala mundial, uma potencia regional e um dos países mais ricos do mundo. O que importa é levar o ex-presidente de Angola a julgamento e em Portugal, não se sabe muito bem quando e muito menos se vai ser condenado. Mesmo que seja condenado isso só serve para o impedir de viajar para países com os quais Portugal tenha um acordo de extradição.

Vai ser muito divertido ver como é que os que há duas semanas defendiam a senhora Procuradora da tentativa de destituição a prazo por parte da ministra da Justiça, curiosamente uma angolana de uma família que no passado foi vítima do regime, vão agora conseguir que a Procuradora-Geral deixe a vida do poderoso angolano em paz.

Veremos como é que estes kuanzeiros vão defender os bons princípios que andavam a apregoar. Veremos se vão defender a Procuradora-Geral em público, equanto em privado farão pressões sobre o presidente e o primeiro-ministro para se verem livres delas.



O NOVO PROTOCOLO PRESIDENCIAL

Ao noticiar o funeral de algumas vítimas do mais recente incêndio em Tondela, um dos jornalistas que acompanhou o acontecimento dava conta da desilusão de alguns populares porque o governo esteve ausente. De certa forma os populares desiludidos tinham alguma razão, desde há uns tempos que é obrigação do governo e da Presidência comparecer nos funerais de vítimas de acidentes.

O protocolo presidencial tem um problema, é necessário um regulamento que defina em que situações o Presidente deve estar presente. O Presidente deve mandar uma carta, telefonar aos familiares das vítimas, estar presente nos funerais, nas missas do sétimo dia, passar o Natal ou o Ano Novo seguinte ao acidente com os familiares das vítimas. Quando é que o Presidente se deve fazer acompanhar de um governante e em que casos o governante deve ser o primeiro-ministro, um ministro ou um secretário de Estado.

Não nos referimos apenas a incêndios e funerais, o regulamento protocolar deve abranger igualmente os acidentes. Assim deverá definir-se se o Presidente comparecerá apenas nos locais de acidentes de aviões ou também comparece quando os acidentes envolvem outros meios de transportes como carros, barcos, trotinetes, camiões, passarolas ou gaivotas. 

Escolhidas as situações em que o Presidente comparecerá ou as cerimónias em que participará, terá igualmente de se definir em que situações o Presidente poderá chamar asi tarefas inspetivas ou no domínio da comunicação. Por exemplo, o Presidente poderá visitar os locais dos acidentes e no final discriminar as perdas materiais, a forma como o acidente ocorreu, etc.. No caso das visitas aos feridos que estejam hospitalizados o Presidente passará igualmente a fazer boletins médicos discriminados, bem mais do que os habitualmente feitos pelos responsáveis dos hospitais. Os boletins médicos presidenciais poderão ir ao pormenor de contar quais os passatempos dos doentes ou o que os deliciou na última refeição.

Este protocolo é não só urgente como é necessário, sob pena de um dia destes alguém se lembrar de dizer que o presidente não respeita o princípio da igualdade consignado na Constituição. Como é que poderá o Presidente dizer que cumpriu as suas obrigações se compareceu no rescaldo de um incêndio em Braga, mas ignorou um outro em Portimão, ou que numa terra foi ao funeral e na outra limitou se a beber uma ginjinha?

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA



 Jumento do Dia

   
Domingos Bragança, autarca muito amado por todas as criancinhas

Levar criancinhas cantar hinos de adoração dos senhor presidente da câmara de Guimarães não só faz lembrar a Coreia do norte, como revela uma grande imbecilidade por parte do autarca. Enfim, não é preciso ir à península coreana para vermos espetáculos deprimentes.

«O evento, que se repete todos os anos, realizou-se esta terça-feira na Câmara Municipal de Guimarães: centenas de crianças cantaram os Reis (as "reisadas") ao autarca socialista Domingos Bragança. O deputado do PSD e membro da Assembleia Municipal, Emídio Guerreiro, não gostou da canção e acusa o município de pagar "a um cantor que coloca as crianças a cantar um hino de campanha ao PS". E questiona o executivo camarário: "Querem transformar Guimarães numa Venezuela?".

O verso da polémica diz: "Viva o Nosso Presidente! / Um homem de confiança / Mais um ano Doutor / Domingos Bragança", e foi precisamente esta frase que terá incomodado não só o deputado social-democrata, como alguns pais, de acordo com o JN.

"Há pais muito chateados por, sem terem dado autorização, verem os filhos a cantar, como se Guimarães fosse a Coreia do Norte, um hino ao presidente da Câmara", disse Emídio Guerreiro ao jornal. O deputado alega que a letra da música foi enviada pela autarquia às IPSS.» [DN]
  
 Quem falou em unidade
   
«O ex-líder parlamentar do PSD Luís Montenegro defendeu hoje que não faz sentido Hugo Soares colocar o lugar à disposição de Rui Rio, uma vez que o cargo de presidente da bancada "depende exclusivamente" da confiança dos deputados.

No programa semanal da TSF "Almoços Grátis", um espaço de debate com o presidente e líder parlamentar do PS Carlos César, Montenegro afastou também qualquer possibilidade de integrar a futura direção política de Rui Rio.

"Não faria sentido nenhum estar nesta direção, estive na frente de combate durante muitos anos, desde 2010, tenho algumas divergências públicas e que não renego relativamente à estratégia política de Rui Rio e, independentemente de lhe desejar toda a sorte, não serei seguramente uma das suas figuras de direção política, nem devo ser", afirmou.» [DN]
   
Parecer:

O PSD nunca esteve tão partido quanto está, é óbvio que os passistas vão forçar Rui Rio a beber do seu próprio veneno.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»
artista pornográfico

quarta-feira, janeiro 17, 2018

EXORCISMO

Afinal o Diabo não estava para vir, o mafarrico já cá estava e ainda está, tomou conta do PS. É o Diabo da esquerda ou, para respeitarmos o fato do PSD também ser de esquerda como insiste Manuela Ferreira Leite, da extrema-esquerda. Quando todos pensávamos que Rui Rio se candidatou à liderança do PSD para libertar o partido do Diabo do Passos Coelho, somos surpreendidos, afinal as diretas do PSD foi uma luta entre duas visões estratégicas, Passos defendia que o Diabo ainda havia de vir, Rui Rio acha que o Diabo já cá está e encarnou no PS.

Poucas horas de ter ajudado Rui Rio a ganhar as diretas do PSD, Manuela Ferreira Leite veio dizer ao que vinham, entregar a alma ao diabo para libertar o PS da esquerda. Mais clara não podia ser, não era o PSD que estava mal, a generosidade dos militantes do PSD é tanta que o que os motiva é libertar da amaldiçoada esquerda. Um escândalo, onde é que se viu o PS estar nas mãos da esquerda em vez de governar com a direita?

Até o senhor da CIP confirmou o seu empenho neste exorcismo, precisamos de libertar o PS da esquerda para que se façam as reformas necessárias, o homem nem pediu pouco referiu logo as reformas que exigem dois terços do parlamento, isto é, umas revisões da Constituição. Digamos que se exorcizarem o PS tirando o Diabo do corpo do António Costa o líder do PS passa a ser uma espécie de António José Seguro, mas um pouco mais escuro.

Talvez não fosse má ideia recordar a Manuela Ferreira Leite, ao senhor da CIP que ainda há quem respeite a palavra, para já não referir a assinatura em acordos parlamentares, ainda por cima acordos que foram celebrados para cumprir as exigências de um Presidente chamado Cavaco Silva. Talvez a Dra. Manuela não se recorde, mas este governo está apoiado por uma maioria consolidada em acordos e princípios exigidos pelo seu amigo Aníbal. Anda por aí quem revogue num dia o que era irrevogável um dia antes, mas quando está em causa gente honestas os acordos são para cumprir.

Já Rui Rio foi um pouco mais abrangente, quer que todo o parlamento conte. Ainda bem, porque o PSD pretendia governar porque a sua minoria parlamentar funcionava como maioria se os deputados do PCP e do BE só fossem considerados em questões secundárias, ou quando os seus votos apenas serviam para votar moções de censura propostas pela direita. Nunca o parlamento foi tão inclusivo como agora, todos os deputados contam e nesta legislatura já vimos por mais de uma vez maiorias parlamentares formadas pelos votos dos deputados da direta e do PCP e BE, como no caso da TSU.

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA



 Jumento do Dia

   
Castro Almeida, devoto de Rui Rio

Os apoiantes de Rui Rio não perderam tempo, ontem foi Manuela Ferreira Leite a querer correr com Hugo Soares, sem ter de vender a alma ao diabo, tendo guardado a alma para um negócio que envolva correr com a esquerda. Agora é um tal Castro Almeida que começou a construir a imagem de um novo mito chamado Rui Rio.

Temos um político cheio de qualidades e que até descentraliza o PSD que passa a ter a sede central metade na semana em Lisboa e a outra metade no Porto. É, além disso, um político cheio de qualidades, um homem à direitas que vai endireitar o partido e o país. Num país onde temos muitos tiques autoritários herdados de um tal Oliveira, um político como deve ser deve obedecer a essa matriz de homem austero, rude e que corta a direito.

«Quando no sábado Rui Rio assumiu a partir do Porto a vitória das eleições directas no PSD deu um sinal de que, com ele na liderança do partido, muita coisa pode mudar, a partir do momento em que tomar posse como novo líder dos sociais-democratas. Logo nessa noite houve quem se insurgisse contra a opção de ficar no Porto, considerando que novo líder deveria fazer o seu discurso de vitória a partir da capital.

Indiferente a quem pensa diferente, Rui Rio não pretende mudar-se de armas e bagagens para Lisboa, optando, para já, por manter a sua residência no Porto. E a estratégia deve passar por estar uma parte da semana em Lisboa e outra no Porto, onde tem a família, até porque este é o tempo de ouvir as pessoas e de fazer convites para os órgãos nacionais do partido.

“Rui Rio não é pessoa para fazer grandes cedências ao politicamente correcto, ele faz aquilo que deve fazer em cada momento, é um homem com apurado sentido do dever e, portanto, faz aquilo que deve e não aquilo que é politicamente correcto”, declara o antigo secretário de Estado do Desenvolvimento Regional de Passos Coelho e ex-presidente da Câmara de São João da Madeira, Castro Almeida.

Quem o conhece bem, como é o caso de Castro Almeida, sabe que o ex-autarca do Porto vai fazer o que entender, mesmo que isso choque a “corte lisboeta”. O futuro inquilino da São Caetano à Lapa é um homem muito meticuloso e um estudioso profundo dos dossiers e não lhe basta saber para onde vai - quando se desloca a algum lugar, sabe a que horas vai chegar, onde é que o carro vai parar e quem o vai receber. “Com o dr.Rui Rio, não existe ‘devo chegar pelas 15h/15h30.’ Ele sabe exactamente a que horas vai chegar e é exactamente assim”, confidencia fonte social-democrata, notando que há um rigor em tudo o faz. A propósito, acrescenta que “cada palavra do discurso de vitória que o novo líder do PSD leu na noite eleitoral foi meticulosamente pensada”..» [Público]

 Tempo de unir o PSD...




      
 Estava difícil de aprender!
   

Querias ser ministra contra a vontade da maioria do parlamento?

«A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, felicita Rui Rio pela vitórias nas eleições directas do PSD. “Felicitei-o naturalmente, desejo que lhe corra muito bem o mandato”, disse a líder popular, estabelecendo metas para as próximas legislativas: “Na perspectiva do CDS é muito importante que os dois partidos – CDS e PSD - possam ter nas próximas legislativas 116 deputados. 116 deputados é a maioria que permitirá governar”.

Cristas sublinhou que, tal como demonstraram as eleições de 2015, “mais importante do que saber quem fica em primeiro lugar nas eleições, o que é importante é saber que partidos é que é que conseguem ter uma maioria parlamentar de, no mínimo, 116 deputados”.» [RR]
   
Parecer:

A senhora licenciada em direito, que até foi aluna de Marcelo segundo fez constar na Wiki, levou dois anos a perceber que numa democracia parlamentar ganha quem consegue formar um governo com maioria no parlamento. Muito provavelmente conseguiu aprender tão difícil princípio, por acompanhar as negociações da senhora Merkel para formar um governo com maioria no parlamento.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mande-se os parabéns à senhora pela forma célere como aprende coisas tão difíceis de entender.»